Gestão de escritório de advocacia: como manter as finanças em dia? - Conecta Advogado

Gestão de escritório de advocacia: como manter as finanças em dia?

A maioria dos advogados passa pela dificuldade de prever com regularidade os rendimentos decorrentes de honorários, diligências e outras remunerações de serviços prestados a seus clientes. A justiça nem sempre é rápida e os serviços podem apresentar mais complexidades do que aparentavam a princípio. Como, então, manter uma boa gestão financeira do escritório de advocacia?

Nesse contexto, conservar as finanças em dia é imprescindível para evitar desequilíbrio nas contas e lidar melhor com as variações das taxas de retorno por seus serviços. Confira a seguir algumas recomendações:

6 sugestões para uma gestão de escritório de advocacia impecável

1. Mantenha um fluxo de caixa constante

Para evitar endividamentos desnecessários em seu escritório, é importante manter um fluxo de caixa condizente com suas despesas de custo fixo.

Por mais que os rendimentos sofram variação ao longo dos meses, deve-se planejar para sempre manter em conta um mínimo necessário, suficiente para o pagamento de despesas fixas e variáveis básicas, como aluguel, transporte, internet, bolsas de estagiários, materiais de escritório, entre outros.

Outra forma de colocar isso em prática é por meio de uma renda constante, cuja cobrança ocorre, por exemplo, em razão do acompanhamento processual mensal ou de consultorias mensais para empresas.

2. Saiba como precificar seus serviços

O primeiro passo para precificar seus serviços advocatícios é verificar os parâmetros mínimos da tabela indicativa de preços da OAB de seu estado. Valorize seus honorários por meio de cobranças justas e não aceite valores irrisórios apenas para receber rapidamente e cobrir despesas básicas. A valorização dos advogados tem de partir de você.

Além disso, verifique sempre os preços praticados por seus concorrentes, levando em consideração aspectos como experiência, formação acadêmica e qualidade dos serviços prestados.

3. Tenha maior controle e gerenciamento das finanças

Independentemente de você utilizar planilhas no Excel ou apps para gerenciamento financeiro (confira os apps SageStart, ZeroPaper e GuiaBolso), o controle das rendas e despesas do escritório deve ser diário.

Verifique e registre honorários recebidos, anote despesas e planeje-se financeiramente para controlar melhor o fluxo de caixa de seu escritório.

4. Cobranças não devem ser negligenciadas

Muitos advogados sofrem com a falta de pagamento por seu trabalho. Por mais que se firme contratos de prestação de serviços e se certifique quanto aos dados mais atualizados dos clientes, muitos deles atrasam pagamentos, ou mesmo somem.

Evite que isso prejudique as atividades de seu escritório. Realize cobranças com regularidade e, caso necessário, inicie também ações judiciais de cobrança.

5. Na gestão de escritório de advocacia, evite atrasos em pagamentos

Ao gerir suas contas (luz, água, internet, aluguel etc.), cumpra os vencimentos dessas despesas à risca. Pagar as contas antes do vencimento evita multas e juros de mora, bem como endividamentos desnecessários.

Para não ter que lidar com imprevistos, crie uma rotina programada de pagamento de contas em datas específicas, de preferência dias antes do vencimento.

6. Não misture patrimônio pessoal com o do escritório

Assim como um empreendedor faz em sua empresa, advogados também devem distinguir seu patrimônio pessoal daquele do escritório.

Por muitas vezes trabalhar sozinho, é comum que alguns dos bens do advogado e do escritório se confundam.

Mas lembre-se de se resguardar e evitar a confusão de bens e finanças em seu dia a dia como forma de facilitar a gestão das contas do escritório.

Ainda tem dúvidas sobre esse tema? Outras sugestões? Deixe o seu comentário!


Deixe um comentário